Cartagena de Indias

CAPITAL DO DEPARTAMENTO, ALT 2 m, POB 1.028.736 hab, BOGOTÁ 1.063 km

Desde a sua fundação em 1533 e durante toda época colonial espanhola, foi um dos portos mais importantes da América. Grande parte de seu patrimônio artístico e cultural provém desse período. Em 1811, declarou-se independente da Espanha. Tem sido associada principalmente à história de corsários, pois sofreu inúmeros ataques de piratas vindos da Europa, que ali encontraram um local adequado para saques na época colonial, o que a tornou, em sua época, a cidade mais reforçada da América do Sul e do Caribe. Atualmente, conserva sua arquitetura colonial. Com o tempo, desenvolveu sua área urbana, preservando o centro histórico e se tornando um dos portos mais importantes do país e do mundo, além de um dos destinos turísticos mais importantes da Colômbia e da América Latina. Conta com o Aeropuerto Internacional Rafael Núñez, com voos diretos de e para as principais cidades do país e destinos internacionais como Miami, Fort Lauderdale, Lima, Amsterdã, Toronto, Atlanta, Quito, Madrid, Caracas e Panamá. Durante a temporada de férias, recebe voos charter da Itália, Canadá, Equador e Espanha. Sua pista tem 2.600m de extensão e oferece capacidade suficiente para que as modernas aeronaves transatlânticas operem sem problemas.

ATRAÇÕES:

É o maior complexo defensivo construído pelos espanhóis no Novo Mundo. Foi edificada entre 1536 e 1657 no alto do Cerro de San Lázaro, ponto estratégico a partir do qual, qualquer tentativa de invasão da cidade por terra ou mar poderia ser identificada. O primeiro castelo era triangular, com 4 guaritas, uma cisterna, um armazém e alojamento para os soldados, e estava equipado com 8 canhões. Resistiu a vários ataques e foi fundamental para a defesa da cidade em 1741, contra as tropas inglesas. Em 1762, diante da ameaça de uma nova guerra com a Inglaterra, reforçou suas defesas, convertendo-se numa fortaleza inexpugnável, com baterias que acomodavam 63 canhões. Este conjunto de baterias era protegido por um muro alto inclinado, impossível de subir. No seu interior, organizou uma intrincada trama de túneis, galerias e armadilhas, de forma a permitir a retirada sucessiva de uma bateria para outra, além de um engenhoso sistema de minas para explodi-lo se fosse tomado pelo inimigo. Acabado o perigo das guerras, foi abandonado, servindo como pedreira até o início da sua restauração em 1928.

Av. Antonio de Arévalo, Carrera 17 - Pie del Cerro
Horário: Diariamente, 8h/18h. $25000.
Possui uma arquitetura variada, em grande parte de estilo colonial, mas há edifícios de estilo italiano e republicano, tais como a torre do sino da Catedral. A principal entrada para o centro é a Puerta del Reloj, que dá na Plaza de los Coches. A poucos passos dali, está a Plaza de la Aduana, perto da Alcadía. Ali perto, a Plaza San Pedro Claver abriga a igreja de mesmo nome. Próximo à igreja está a Plaza de Bolívar, com uma estátua de Simón Bolívar no centro, e o Palacio de la Inquisición. Essa praça é rodeada por edifícios com varandas coloniais. Ao lado do Palácio do Governo fica a Catedral, que data do século XVI.
Situado no topo do ponto mais alto da cidade, é um convento do século XVII, caracterizado por graciosas arcadas de pedra e um pátio interno repleto de flores. A maior atração do lugar é a visão a partir do mirante de 152m, com vistas deslumbrantes da costa caribenha e da cidade colonial.

Calle 37
Horário: Diariamente, 8h30/17h30. $11000.
Fortaleza militar construída em 1753 sobre as ruínas do castelo de San Luis de Bocachica, destruído pelos britânicos em 1741. Localizado na Isla de Tierrabomba, é quase todo edificado em pedra. Possui uma cortina circular que encerra os baluartes do Rei e da Rainha. Este último e a cortina estão voltados para o canal, e o do Rei para a parte de terra. O Baluarte del Rey é o mais completo, com 13 canhões, uma cisterna, um varal e uma guarita. Já o Baluarte de la Reina, um pouco menor, defende o castelo de um ataque terrestre, tendo 8 canhões, uma guarita e uma cisterna. Suas abóbadas serviram de prisão devido ao difícil acesso e localização segura. Com formato de "ferradura", está rodeado por um fosso molhado. Na Plaza de Armas existe uma rampa de acesso à plataforma superior. Os espaços interiores são abóbadas pontiagudas onde antigamente ficavam a capela, o hospital, o armazém de pólvora, a abóbada do oficial de artilharia, o armazém de alimentos, a cozinha e os aposentos dos oficiais. Destacam-se também a portaria circular da "escada secreta", a fachada neoclássica e o molhe de pedra. Acesso somente de barco, através da contratação de tour para Islas del Rosario ou Barú.

Horário: Diariamente, 8h/17h. Gratuito.
É um dos futuros polos de desenvolvimento turístico da cidade. Atualmente, possui belas praias de areia branca, águas transparentes, canais rodeados por manguezais e corais multicoloridos. Pode-se chegar por via terrestre cruzando o Canal del Dique de Pasacaballos (via Mamonal) ou por via fluvial cruzando a baía de Cartagena.
Constituída por 47 arcos e 23 abóbadas (bóvedas), está localizada no setor norte da cidade murada, entre os fortes Santa Clara e Santa Catalina. Foram construídas entre 1792 e 1796 e usadas como depósitos de munição. Durante a era republicana, foram usadas como prisões. Atualmente, são um conjunto de armazéns onde é possível encontrar uma variedade de lojas de artesanato. Do topo da estrutura, tem-se uma visão do mar do Caribe. É considerada a última obra do período colonial, executada dentro do perímetro fortificado.

Horário: Diariamente, 7h/20h.
Quatro séculos de história guardam este muro de 11km, construído para proteger a cidade dos ataques de corsários e do mar. A fortificação é a mais completa do continente sul-americano e uma das melhores e mais bem preservadas do mundo, declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Sua construção foi feita por etapas, começando em 1586 e terminando em 1796. Cada baluarte da fortificação foi destinado a proteger uma área específica da cidade colonial. Haviam 2 cinturões que compunham o sistema de muros, o primeiro para proteger a cidade e o segundo, para cuidar da entrada por via terrestre, pela que hoje é a calle de la Media Luna. Está localizada no Centro Histórico. Gratuito.
Também conhecida como Las Botas Viejas, é uma escultura realista gigante de um par de sapatos gastos, feita em bronze em homenagem ao poeta Luis Carlos Lopez. Sua obra mais popular, o poema "A Mi Ciudad Nativa" termina com os versos: "Mas hoy, plena de rancio desaliño; bien puedes inspirar ese cariño; que uno le tiene a sus zapatos viejos..."

Calle 31, #18B-55.
Foi inaugurado em 1994. Reúne peças dos monumentos fortificados de Cartagena e museus locais. Resume a história das muralhas, desde a sua construção até à sua conclusão. É possível ver as muralhas por dentro, basta entrar e pedir permissão para o guarda, pois a exposição está interditada para reparação. Mas dá para conhecer a muralha por dentro, saber como seu desenho era aproveitado nas épocas de guerra.

Está localizado no interior do Baluarte de Santa Catalina
Horário: Diariamente, 8h/17h. $7000.
Faz parte da rede de museus Oro del Banco de la República e abriu suas portas em 1982. Através de suas salas é apresentada uma amostra representativa das sociedades das diferentes áreas da ourivesaria arqueológica do território colombiano, seus sistemas de pensamento, formas de organização social e adaptação às condições ambientais, particularmente nas planícies do Caribe colombiano.

Calle del Landrinal, Carrera 4, #33-60
Horário: Segunda a sexta 9h/17h, sábado 9h/13h. Gratuito.
É um centro de conservação, que abriga mais de 1.400 animais de 140 espécies marinhas do Caribe colombiano e oferece experiências inesquecíveis a seus visitantes, além de educação sobre a importância e o cuidado com a flora e fauna marinhas. Também realiza valiosos trabalhos de conservação do meio natural, protegendo e repovoando espécies ameaçadas como corais, tartarugas marinhas, peixes marinhos, entre outros. Acesso somente por barco em tours contratados.

Horário: Diariamente, 0h/23h45. $30000.
Saiba mais:

Oceanario Islas del Rosario
Em 1610 foi estabelecida a inquisição na cidade para julgar crimes contra a fé cristã. O Tribunal Penal do Santo Ofício adotou como sede principal este palácio, que é uma das construções mais elegantes e características da época colonial da cidade. Hoje o palácio é um museu onde pode ser visitado o que no passado foram prisões e câmaras de tortura, além de apreciar documentos históricos que apresentam a história no museu instalado no local.

Plaza de Bolivar, Carrera 3, #33
Horário: Segunda a sábado 9h/18h, domingo 10h/16h. $22000.
Saiba mais:

Museo Histórico de Cartagena de Indias
Espaço verde para descanso e lazer, que permite um encontro com a natureza. É o lugar ideal para passar um dia entre as árvores e fazer um piquenique. Oferece uma vista espetacular dos manguezais e da Laguna de Chambacú. Também possui diversas esculturas de personalidades colombianas. Dispõe de serviços de sala de jogos, parque infantil, restaurante e zona de wi-fi gratuito. Está localizado no bairro Chambacú, a poucos minutos do Centro Histórico.

Horário: Terça a sábado 10h/20h, domingo 15h/20h.
É o lugar ideal para experimentar os doces típicos da cidade. Está localizado do outro lado da Plaza de los Coches, logo em frente à Puerta del Reloj. É o primeiro lugar que pode ser visto ao entrar na cidade amuralhada.

Carrera 5, #33-15
Horário: Segunda a sexta, 7h30/18h.
Foi construída em 1631 para ser a entrada principal da cidade murada. Os arcos laterais serviam de capela e sala de armamento. Era a única entrada da cidade propriamente dita. Em 1704, consistia em 3 abóbadas à prova de bombas, hoje todas abertas, mas onde originalmente apenas a do meio era utilizada para trânsito de pessoas. As 2 laterais serviam para guardar armas e abriam-se exclusivamente para o centro, onde foi colocado o relógio.

Calle 70, #4-66.