El Cerrito

ALT 967 m, POB 79.659 hab, CALI 43 km

Município conhecido cultural, turística e economicamente por abrigar a Hacienda El Paraíso, lugar onde sucederam os acontecimentos da novela “Maria”, obra do escritor vallecaucano, Jorge Isaacs. Suas principais atividades econômicas são a pecuária e a agricultura, com destaque para a produção de uva e cana-de-açúcar. Produz também milho, soja, arroz, feijão, pimenta malagueta e flores tropicais como orquídeas.

ATRAÇÕES:

Construída em 1815 por Victor Cabal, fazendeiro de Guadalajara de Buga e ex-prefeito de Cali, é conhecida por ter sido o cenário do romance épico latinoamericano "María", do escritor colombiano Jorge Isaacs. É um excelente exemplo da arquitetura tradicional das casas amplas e de tetos altos das grandes propriedades da região. Localizada ao pé da Cordilheira Central, a fazenda  de 120ha tem uma bela vista da planície verde, adornada por extensos canaviais e gigantescas árvores da chuva. A casa é rodeada por canais de água que impedem a passagem de insetos e cobras e garantem frescura no seu interior. Além disso, tem varandas arejadas e frondosa vegetação. Da entrada da fazenda e até a escadaria, há um lindo jardim de rosas, no qual, de acordo com o romance, María colhia a cada manhã as flores mais frescas para seu amado Efrain. Outra testemunha desse amor é uma imensa pedra na parte frontal da fazenda também descrita no livro. Acesso pela estrada para Santa Elena, 7km depois do distrito, a 17km da cidade.
Construída no século XVIII, é um exemplo típico da arquitetura vallecaucana da época colonial. Os móveis e objetos de decoração, característicos de uma casa antiga, correspondem ao século XIX e início do século XX e foram adquiridos em diferentes coleções do país. Esta região do departamento foi berço dos primeiros engenhos de açúcar que deram origem à indústria açucareira. Nos seus jardins há uma série de ranchos e engenhos representativos das diferentes regiões da Colômbia onde é cultivada a cana-de-açúcar. Ali funcionava um moinho hidráulico que aproveitava a força da água conduzida por um aqueduto para mover uma roda e gerar energia. A ramada é original do século XIX, pois a quinta produzia panela. Abriga hoje o Museo de la Caña de Azúcar, que conta a história e a evolução do setor açucareiro. Acesso pela estrada para El Placer e El Paraíso, a 24km da cidade.