Popayán

CAPITAL DO DEPARTAMENTO, ALT 1.760 m, POB 318.059 hab, BOGOTÁ 587 km

Conhecida como “La Ciudad Blanca“, foi fundada pelo espanhol Sebastião de Belalcázar em 1537 como capital do então Estado Soberano del Cauca (ou Gran Cauca), evocando o nome do Cacique Pioyá, ex-chefe dos pubenenzes, primeiros habitantes da região. É uma das cidades mais antigas e mais bem preservadas da América, reconhecida pela arquitetura colonial e pelo cuidado com as fachadas. Possui um dos maiores centros históricos coloniais do país e do Continente, com um total aproximado de 236 prédios históricos. Suas ruas de paralelepípedos foram quase totalmente pavimentadas em 1937, mas há projetos para restaurar este aspecto charmoso da cidade original, devolvendo-a aos pedestres. Relíquias republicanas, como a Puente del Humilladero, lhe conferem um caráter singular.

ATRAÇÕES:

Situado entre os rios Molino e Ejido e os morros da cidade, é um dos mais bem preservadas do país. Após o terremoto de 1736, foi reconstruído e 20 anos depois foram construídas plataformas para evitar a formação de lama nas épocas de chuva. No centro destacam-se o Palacio Arzobispal, a Torre del Reloj, o Parque Caldas e a Catedral. Essa região é somente para trânsito de pedestres.
É o principal sítio arqueológico de Popayán. Um pequeno morro em forma de pirâmide truncada, construída na época pré-colombiana, aproximadamente entre 500 e 1.600 a.C. Em 1937 foi inaugurado no alto do morro um monumento em homenagem ao conquistador Sebastián de Belalcázar, que protagonizou a fundação hispânica de Popayán, com uma estátua equestre feita pelo artista espanhol Victorio Macho.
Esta casa permite transitar pelo legado do notável poeta, escritor e político Guillermo Valencia. Está localizado num prédio de esquina, cujo pátio se estende até próximo a Puente del Humilladero, criando uma enorme praça ao ar livre. Expõe de forma permanente objetos pessoais, fotografias, documentos históricos, obras de arte coloniais e parte da obra poética do poeta. No primeiro andar há uma sala de eventos com capacidade para 100 pessoas.

Carrera 6, #2-69
Horário: Terça a domingo, 10h/12h e 14h/17h. Gratuito.
Foi construída em 1873 pelo Fray Serafín Barbetti, para atravessar o rio Molino. Tem 240m de comprimento e 12 arcos semicirculares. Durante muito tempo foi uma das principais entradas para a cidade. Através dela os exércitos libertadores entraram durante a luta pela Independência. A inclinação era tão íngreme que era impossível escalá-la sem se ajoelhar, por isso foi chamada dessa forma.
Um dos símbolos da cidade, está localizado na rua mais central, em frente à Plaza de Caldas, ao lado da Catedral. Foi construída entre 1673 e 1682 pelo Bispo Cristóbal Bernaldo de Quiroz. Não foi afetada pelo terremoto de 1736. No ano seguinte, o padre Bueno doou o relógio de ponteiro único que lhe dá nome. O terremoto de 1983 causou estragos, que foram habilmente reparados sem mover um único tijolo de sua estrutura.