Valdivia

CAPITAL DA REGIÃO, ALT 14 m, POB 166.080 hab, SANTIAGO 1.033 km

Fundada em 1552 pelo conquistador espanhol Pedro de Valdivia, durante a época colonial foi considerada “a chave do mar do sul“, pois era um enclave estratégico de acesso ao Oceano Pacífico. Em razão disso, foi construído um conjunto de fortificações que a protegeram de ataques inimigos e de povos indígenas da área. É uma cidade universitária durante o ano e também uma cidade turística principalmente no verão. Graças a seus espaços públicos, organização e limpeza, tornou-se uma das melhores cidades para morar ou visitar e a de melhor qualidade de vida no país.

ATRAÇÕES:

Abriga o Museo Histórico y Antropológico Maurice van de Maele. Declarada Monumento Histórico Nacional, a casa foi construída pelo colono e empresário prussiano Carlos Anwandter. Exibe documentos, móveis e peças arqueológicas que remontam o passado da cidade, desde os tempos da ocupação Huilliche, época da conquista e colônia espanhola (1552-1820), independência e início da República (1810-1830), até o período da colonização alemã (1850). Os objetos estão distribuídos nos 2 andares da casa. No primeiro, estão reproduzidos salões de antigos casarões espanhóis, chilenos e alemães, com elementos próprios das diferentes épocas. No segundo, estão expostos objetos da cultura Mapuche, principalmente prataria, cerâmica e tecidos; e da conquista espanhola, especialmente objetos da vida cotidiana e militar.

Los Laureles, s/n
Horário: Terça a domingo 10h/13h e 14h/18h. CLP$1500.
É um mercado localizado na Costanera Arturo Prat, muito próximo da Catedral e da Puente Pedro de Valdivia, que liga o centro da cidade à Isla Teja. Ali são vendidos frutos do mar, pescados, legumes e outros alimentos, além do artesanato local. Por seu entorno privilegiado, aliado a amplos espaços verdes e vista panorâmica do rio Valdivia, é um dos principais cartões postais da cidade.

Libertad, 28
Horário: Diariamente, 8h/15h.
Possui uma área de aproximadamente 12ha, onde podem ser observadas cerca de 950 espécies de plantas, incluindo musgos, samambaias, árvores nativas e plantas com sementes, ao longo de suas trilhas que chegam aos rios Cruces e Valdivia. Está localizado dentro do Campus Isla Teja da Universidade. É um belo lugar para passear ou descansar em meio à natureza. Sua entrada fica atrás da Faculdade de Ciências com acesso pela calle Doutor Eduardo Tallman.

Horario: Diariamente, 8h/19h (verão) e 9h/15h30 (inverno). Gratuito.
Reserva florestal privada criada pela Arauco, de alto valor de conservação com 2.841ha, a maior parte no morro de mesmo nome, o mais alto da Cordillera de la Costa. Seus bosques são predominantemente compostos de canela, ulmo, olivillo, mañío fêmea, mañío macho, tepa e tepú, entre outras espécies. Possui áreas para camping e piqueniques, além de 4 mirantes. Dois estão no caminho dos veículos e oferecem vista para a cidade. Os mirantes do alto do Cerro Oncol oferecem uma visão panorâmica completa do mar, tanto das serras como do vale central. Dali podem ser avistados 11 vulcões, desde o Llaima ao norte até o Osorno e o Tronador ao sul, na fronteira com a Argentina. Fica a 29km a noroeste da cidade

Horário: Diariamente, 9h/17h. CLP$6000.
Desde 1944 pertence à Sociedad Agrícola de Valdivia (Saval). Nele se destacam 2 lagos cobertos de flores de lótus, áreas para piqueniques, playgrounds, ciclovia, parque de esculturas, canopy, campo de futebol e rugby e um galpão onde são organizadas várias feiras temáticas ao longo do ano. Está localizado na Isla Teja.

Los Lingues
Horário: Diariamente, 8h/22h (verão) e 8h/18h (inverno). CLP$500.