Joinville

ALT 4 m, POP 583.144 hab, FLORIANÓPOLIS 186 km

Maior cidade do estado e a terceira mais populosa da Região Sul do Brasil, é conhecida como “Manchester Catarinense” e “Cidade dos Príncipes“. Indústrias metal-mecânicas, de tecidos, de alimentos, softwares, eletrodomésticos, computadores e máquinas, entre outras, fazem dela o terceiro maior polo industrial do sul do país. Com excelente infraestrutura hoteleira e de comércio e serviços, é referência em turismo de eventos.

ATRAÇÕES:

Espaço cultural com galeria de arte, loja de produtos criados pelo artista plástico catarinense e uma sofisticada cafeteria. Abrange a antiga residência da família e 2 pavilhões independentes. No pavilhão principal estão expostas as obras de Juarez Machado, e no outro ficam as mostras e exposições itinerantes.

R. Lages, 994 - América
Horário: Terça a sábado 10h/18h30, domingo 15h/18h30. R$8.
Saiba mais:

Viajoteca
Espaço de 300m² que exibe canteiros ao ar livre, reformulados anualmente para observação detalhada das flores. O período de floração inicia em outubro e termina em fevereiro, mas a propriedade pode ser visitada o ano todo para compra de mudas e para apreciar o ciclo de vida dos hemerocallis nas quatro estações.

R. Ten. Antônio João, 4257 - Jardim Sofia
Horário: Segunda a sexta 8h/17h, sábado 8h/12h.
Apresenta 49 peças, sendo 23 pertencentes a acervos de colecionadores particulares, com modelos produzidos no Brasil, na Suécia, Alemanha e Índia, a partir do início do século 20. Entre as curiosidades estão um “rema-rema” de 1910, uma bicicleta feminina da marca alemã Miele, fabricada em 1940, um exemplar indiano modelo Regent da década de 1960 e outras raridades.

R. Leite Ribeiro, 90 - Anita Garibaldi
Horário: Terça a domingo, 10h/16h. Gratuito.

Museu do Ferro de Passar

Único na America Latina e possivelmente no Mundo, reúne cerca de 700 ferros de passar e mais 300 acessórios colecionados ao longo de 20 anos. Os modelos de diferentes épocas e lugares contam a história do ferro de passar desde as civilizações mais antigas até a atualidade. Os modelos mais antigos são dos séculos XVII e XVIII. Na mostra há ferros maciços, a carvão, a combustão e os elétricos. Este pequeno e interessante museu fica no segundo piso do Memorial da Bicicleta.
Situado a 250m de altitude, o mirante possui uma plataforma de observação de 14m, que pode ser acessada por escadaria ou elevador. A vista em 360º possibilita admirar a Baía da Babitonga, a Ilha de São Francisco do Sul, toda a área central de Joinville e as montanhas da Serra do Mar, ao longe. Conta com uma trilha ecológica com plataformas suspensas que permitem uma caminhada em meio à Mata Atlântica, onde é comum avistar alguns animais como os saguis.

R. Pastor Guilherme Rau, s/n - Saguaçu 
Horário: Diariamente, 7h/19h.

Parque Zoobotânico

Reúne 200 animais em cativeiro e outras espécies nas áreas de floresta do parque. Possui trilha, quiosques e playground. Fica próximo ao Morro da Boa Vista, que proporciona uma linda vista panorâmica de toda a cidade (30min de caminhada em subida constante). Também há linhas de ônibus exclusivos que sobem o morro.

R. Pastor Guilherme Rau, 46 - Saguaçu
Horário: Terça a domingo, 9h/18h.
Tem um acervo de 3.000 peças, entre documentos e fotografias, equipamentos e acessórios, com destaque para um caminhão de 1923 usado no combate ao fogo e para uma bomba manual de 1892. É o único espaço dedicado à preservação da história dessa atividade no país.

R. Jaguaruna, 13 - Centro
Horário: Terça a domingo, 9h/17h30.
Cartão postal da cidade, é um calçadão que faz a ligação entre as ruas Rio Branco e do Príncipe. Está cercada em ambos lados por colunas de centenárias palmeiras imperiais, cujas mudas vieram do Jardim Botânico do Rio de Janeiro em 1867.
Belíssima queda formada pelo rio Piraí, com águas cristalinas que despencam de uma altura de mais de 100m, sobre um imenso paredão rochoso. A cascata pode apenas ser contemplada a partir da Usina Hidrelétrica do Piraí (1909), a mais antiga de Santa Catarina, localizada a seus pés.

Estr. do Salto I, a 20km do centro.
Horário de visitação da Usina: Sempre no segundo sábado de cada mês (exceto em dias de chuva), 10h/15h. Grupos de até 15 pessoas, guiadas por técnico da Celesc e bombeiros. Proibida entrada de menores de 15 anos e de chinelo. Gratuito.