Pacaraima

ALT 920 m, POP 15.580 hab, BOA VISTA 214 km

ATRAÇÃO:

Tem uma área de 116.747,80ha, com savanas, florestas de altitude e rios de correnteza forte. Inclui parte da bacia do rio Cotingo e parte da Serra de Pacaraima, que separa o Brasil da Venezuela e da Guiana. Apesar de pertencer ao município de Uiramutã, o acesso é mais fácil através de Pacaraima. A área do Parque é coberta por formações de floresta amazônica abrigando uma grande diversidade de fauna e flora. A fauna é típica da região amazônica caracterizada por espécies de quelônios e mamíferos. O Parque não está aberto à visitação pública, mas é possível realizar visitas controladas com autorização prévia do ICMBio. Acesso cruzando a fronteira até a cidade de Santa Elena de Uairén (Venezuela), a 17km. A partir daí há 2 opções para chegar até o Monte Roraima: de helicóptero (45min) ou de carro 4x4 via Paraitepuy (93km) e depois mais uma caminhada de 22km até a base (1 dia).

Fosso

Localizado no lado venezuelano, abriga um lago de águas alaranjadas, situado em uma cratera larga e profunda. Além do paredão circular de 6m de altura, possui várias galerias internas. É uma paisagem incrível e dependendo das condições das rochas, é possível descer até a água para um banho.

Jacuzzis do Monte Roraima

Também no lado venezuelano, é uma sequência de pequenas piscinas ou poços de águas transparentes e geladas, com com cristais de quartzo cintilantes no fundo e cercadas por formações rochosas. É um dos lugares mais bonitos do monte. As águas adquirem um tom amarelado devido às rochas e aos sedimentos.

Labirintos

Região extensa e isolada, localizada a oeste do platô. É composta por gigantescos monólitos de pedra formando um verdadeiro labirinto com trilhas em meio às grandes rochas.

Monte Roraima

Chamado pelo índios de "tepui", tem o formato de uma mesa. É um imenso platô cercado por falésias, a 2.875m de altitude. Apresenta vários tipos de formações rochosas, piscinas naturais, abismos e cachoeiras. Todo o planalto é composto por arenitos recobertos por camadas de argila, conglomerados e diques de diorito datados do período mesozoico. No seu topo plano está o Marco da Triplice Fronteira, monumento que indica as fronteiras entre Brasil, Venezuela e Guiana. Seu cartão postal é a chamada Proa, que lembra a proa de um navio. De difícil acesso, o atrativo está situado em território da Guiana.

Passagem das Lágrimas

Situado na Venezuela, é a parte final do caminho chamado La Rampa, que dá acesso ao cume. As pedras ficam sempre molhadas devido aos respingos de uma cachoeira que despenca ali próximo.

Vale dos Cristais

É um pequeno vale onde cristais de quartzo afloram à superfície e se espalham pelo platô, proporcionando um visual encantador para o trajeto. Não é permitido levar nenhuma amostra para casa, pois há revistas no final da expedição, sujeitas a multa. Fica na parte da Venezuela.

Mapa do Parque:

Saiba mais: 

FazendoasMalas.com